CASO URUANA - GO


Adiada transferência do suspeito de matar a menina Gabrielly, em Goiás

Ele deve ser levado de delegacia para a CPP na próxima semana.
Homem confessou ter matado a garota de 10 anos, em Uruana.



Foi adiada para a próxima semana a transferência de Carlos José Moreira, de 50 anos, para a Casa de Prisão Provisória (CPP), em Aparecida de Goiânia. Ele seria levado para a unidade nesta sexta-feira (26). O homem está preso desde o último domingo (21) na Delegacia de Homicídios da capital. Ele confessou ter matado a menina Gabrielly Caroline Dias Rocha, de 10 anos, em Uruana, região central de Goiás. A menina saiu de casa na quinta-feira (18) para doar um cachorro e não retornou mais.

Antes de ser levado para a CPP, ele passará por exames no Instituto Médico Legal (IML) e será ouvido pelo psicólogo forense, que vai traçar seu perfil psicológico. Carlos é um dos 23 presos que estão na Delegacia de Homicídio. Ele divide a cela com mais um preso, também suspeito de crime sexual.


Crime
Gabrielly saiu de casa no último dia 18 para doar um cachorro e não voltou mais. No dia seguinte, Carlos foi preso após o sapato da vítima ser encontrado no quintal da casa dele. O corpo só foi encontrado na terça-feira (23), em um canavial de Carmo do Rio Verde, a 200 metros do local onde o suspeito do crime indicou à polícia. A polícia suspeita que Carlos tenha praticado crime sexual contra a menina, mas os exames ainda não comprovaram se houve abuso.

Após o corpo ser encontrado, a casa de Carlos em Uruana foi destruída pela população. Moradores quebraram e colocaram fogo na residência do suspeito. De acordo com a polícia, a mulher e a filha do suspeito estão em Goiânia, sob proteção. Esse foi o segundo episódio de revolta envolvendo o caso. Na noite de domingo (21), uma multidão tentou invadir a delegacia de Uruana, onde o homem estava preso.
Share on Google Plus

About

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário