DIETA DO ACARAJÉ

Baiano elimina o acarajé da dieta, volta a treinar jiu jitsu e perde 30 kg

Abandonar o acarajé foi uma das atitudes que o fisioterapeuta Carlos Fernando Rodrigues Almeida, de Salvador, teve que adotar para mudar a alimentação e perder peso. E o esforço valeu a pena: após atingir os 120 kg, ele conseguiu emagrecer e chegar aos 90 kg.

“Até o último momento que dei aula de pilates, consegui manter o peso. Quando deixei de ser professor e comecei a administrar a academia, ganhei 30 kg em pouco mais de um ano”, lembra o baiano, de 28 anos. Para recuperar a forma física, ele mudou toda a alimentação, diminuiu a carga de trabalho e começou a treinar jiu jitsu. “Os treinos são muito fortes, chego a lutar 30 minutos sem parar todos os dias”, conta.
O sinal vermelho que fez Carlos perceber que precisava de mudança apareceu quando ele teve problemas de saúde. “Tive urticária por causa do estresse, fiquei com a pressão alta e me sentia extremamente cansado só de subir uma escada. Além disso, tinha um sono péssimo e minha namorada dizia que eu roncava muito durante a noite”, lembra.

Na época, ele administrava sua própria academia e também dois estúdios de pilates em outros locais. “Pensava só na profissão e acabei esquecendo do meu corpo. Todo mundo na academia era bonito, forte e eu era o redondinho”, brinca. Segundo ele, a mistura de ansiedade, má alimentação, estresse, sedentarismo e trabalho contribuiu para o excesso de peso. “A reunião com os sócios era sempre no bar, saía para beber quase todos os dias e comia muita besteira”, lembra.

Em janeiro deste ano, ele recebeu uma proposta para vender sua academia e resolveu diminuir a carga de trabalho. “Vendi a academia e fiquei trabalhando só com pilates, também na área administrativa”, conta. Com o tempo um pouco mais livre, Carlos voltou a treinar jiu jitsu e logo no primeiro treino, quase desmaiou. “Me senti muito mal, tudo começou a rodar e não sei o que houve aquele dia”, lembra.
Share on Google Plus

About

    Blogger Comment
    Facebook Comment