Mão cortada de cadáver dentro do IML é encontrada em quintal de casa

Polícia Civil investiga o caso, que aconteceu na sexta-feira (23), em Goiânia.
Direção admite que amputação ocorreu no IML: 'não temos segurança aqui'.

A Delegacia de Homicídios de Goiânia investiga o desaparecimento da mão esquerda de um cadáver dentro Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia. O caso aconteceu na sexta-feira (23). A ocorrência foi registrada pela família da vítima, o pedreiro Fernando Aparecido Lobo, de 35 anos, que morreu na noite quinta-feira (22). A mão foi encontrada no quintal de uma casa, na região oeste da capital.
Fernando estava internado o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) há 10 dias. Segundo a família, ele caiu em um buraco no Centro de Orizona, a 120 quilômetros da capital, e bateu a cabeça. O pedreiro sofreu traumatismo craniano e não resistiu aos ferimentos.
O desaparecimento da mão esquerda do cadáver só foi notado quando os médicos legistas se preparavam para fazer a autópsia. “Aconteceu na sala de necropsia. Quem fez isso sabia o que queria fazer, que era retirar essa mão”, afirma a diretora do IML, Silvânia de Fátima Coelho.
Com o sumiço da mão, o corpo não poderia ser liberado, o que aumentou ainda mais a aflição da família. “Eu acho isso muito triste. É um absurdo por ser uma pessoa que vem para cá [IML] ser cuidada e some a mão”, lamenta a mãe do pedreiro, Maria Isabel de Jesus.
Share on Google Plus

About

    Blogger Comment
    Facebook Comment