Sarney abomina pedido do MPF para retirar "Deus seja louvado" de notas de real


O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), criticou nesta terça-feira, dia 13, a ação do Ministério Público Federal (MPF) para retirar das cédulas de real a expressão "Deus seja louvado". Para Sarney, que foi o responsável por incluir a frase nas cédulas da moeda brasileira quando foi presidente da República, em 1986, o processo é uma "falta do que fazer" dos procuradores.

"Precisamos cada vez mais ter a consciência da nossa gratidão a Deus por tudo o que ele fez por todos nós humanos e pela criação do universo. De maneira que não podemos jamais perder o dado espiritual", afirmou.

O MPF entrou com a ação civil pública pedindo a retirada da expressão ontem. De acordo com o texto, a existência da frase nas notas fere os princípios de laicidade do Estado e de liberdade religiosa.

"Imaginemos a cédula de real com as seguintes expressões: `Alá seja louvado`, `Buda seja louvado`, `Salve Oxossi`, `Salve Lord Ganesha`, `Deus não existe`. Com certeza haveria agitação na sociedade brasileira em razão do constrangimento sofrido pelos cidadãos crentes em Deus", afirma trecho da ação, assinada pelo procurador Jefferson Aparecido Dias.
Share on Google Plus

About

    Blogger Comment
    Facebook Comment