Bispo é ameaçado de morte em desocupação de área indígena em MT


Dom Pedro

Temendo pela própria vida, um dos maiores defensores do povo Xavante de Mato Grosso, o bispo emérito Dom Pedro Casaldáliga, de 84 anos, foi forçado a deixar a casa em que vive na cidade de São Félix do Araguaia, a 1.159 quilômetros de Cuiabá, por conta da retirada das famílias de posseiros da Terra Indígena de Marãiwatsédé, que deve ser entregue gradualmente aos índios da etnia a partir desta segunda-feira (10).

Desde que a Justiça reconheceu que a área em disputa é dos índios, Casaldáliga passou a receber constantes ameaças de morte que motivaram o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) a divulgar notas de repúdio contra uma possível retaliação ao religioso. De acordo com o representante do conselho em Mato Grosso, Gilberto Vieira, um grupo de posseiros disse que Casaldáliga ‘era o problema’ e que ’faria uma visita para ele’. A distância entre o centro nervoso do conflito, o Posto da Mata, e São Félix do Araguaia não passa de 120 quilômetros.
Share on Google Plus

About

    Blogger Comment
    Facebook Comment