Mudança de hábito no comportamento masculino


Toda necessidade de mudança gera uma resistência de imediato. Os homens, que sempre estiveram em uma posição de poder e domínio, ainda estão se adaptando à nova ordem. A ideologia machista vai sendo substituída por novos paradigmas, mas insiste em se manifestar até hoje feito manchas em uma roupa que demoram a ser eliminadas.

Sem dúvida nenhuma o homem hoje é muito mais sensível. E isto se dá por vários motivos. Um deles é que o trabalho braçal foi sendo substituído pelas máquinas e posteriormente pelos comandos eletrônicos. Depois, a comunicação passou a ter importância cada vez maior na organização social. Se junta a isto a mudança de consciência e a liberdade que as mulheres conquistaram, reivindicando igualdade de direitos, e tem-se um panorama completamente diferente que permite e até impõe uma mudança na direção para um homem mais sensível.

A desigualdade entre os sexos varia de acordo com o país ou mesmo com a região. Dentro do Brasil, encontramos homens mais adequados aos novos tempos, como é o caso de grandes cidades como São Paulo. Mas ainda é possível encontrar no nordeste do país o “cabra macho” que está convicto de sua superioridade em relação às mulheres. Sabemos que, no geral, as mulheres ainda recebem menos pelas mesmas funções nas empresas. Observo também que é bastante comum elas se responsabilizarem mais que os homens pela educação dos filhos e pela organização doméstica, mesmo que trabalhem fora de casa tanto quanto os homens.

Nos relacionamentos amorosos, a maior parte dos homens ainda se dá o direito de pular a cerca, enquanto exigem fidelidade de suas companheiras. Além disto, eles gostam de serem servidos por elas, como se fossem “paxás” à moda antiga. A potência masculina ainda é construída com os homens se posicionando como controladores da situação. Para muitos, dizer que é homem significa não ser “mulherzinha”, numa postura evidentemente discriminatória em relação à mulher. O homem ainda não acertou o passo com os novos tempos e não tem uma identidade própria, sem desqualificar o sexo oposto.

Vamos ser otimistas. Os homens estão percebendo que continuar no papel de macho orgulhoso e protetor não é um bom negócio. Aumenta a consciência masculina de que é muito melhor caminhar e viver de forma cooperativa. 

Dizer que o homem não dispensa a opinião feminina na hora de comprar roupas é verdade, principalmente para aqueles homens que não desenvolveram o senso estético. Tradicionalmente, as mulheres são melhores nisso e os homens gostam de serem assessorados pelo bom gosto feminino. Creio que as mulheres podem nos ensinar muito a este respeito.

Sem dúvida nenhuma os homens estão muito mais vaidosos. Em parte porque as mulheres se tornaram mais exigentes. Elas não aceitam mais o antigo “bom partido” que pode ter uma boa pança. Por outro lado os homens foram aprendendo a se cuidar mais para eles mesmos. De toda forma, a mulher deixa de ser o foco único de atenção, dividindo com os homens a responsabilidade de serem belas.

Os homens adoram falar de futebol, mulher, carros, motos, corridas, de novos equipamentos eletrônicos. Não gostam muito de falar dos seus sentimentos. Preferem falar de sexo, de suas conquistas. Homens mais sensíveis também são atraídos pelo autoconhecimento, pelas artes, filosofia e religião.

O homem mais superficial está preocupado em conquistar muitas mulheres. Ele é competitivo e acredita no dinheiro, no carrão, na fama. O homem mais inteligente estuda, pesquisa, está mais preocupado com seu currículo, em sua satisfação profissional, quem sabe até em ter uma companheira. O homem sábio quer viver da forma mais feliz possível.
Share on Google Plus

About

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário