RENÚNCIA DE BENTO XVI

Veja alguns nomes de cardeais cotados para suceder Bento XVI.

O Papa Bento XVI anunciou na segunda-feira (11) que vai renunciar em 28 de fevereiro, surpreendendo o Vaticano e os fiéis.


O conclave de cardeais deve escolher um novo Papa até a Páscoa, segundo o porta-voz da Santa Sé.

Veja abaixo alguns nomes de cardeais que teriam chances de serem eleitos:

Itália:

Dom Angelo Scola: arcebispo de Milão, 72 anos, é o mais cotado entre os candidatos italianos. Apreciado teólogo e homem do diálogo inter-religioso.

Alguns meios de comunicação italianos também citam o arcebispo Gianfranco Ravasi, de 71 anos, 'ministro da Cultura', cheio de ideias e uma verdadeira enciclopédia humana.

Ásia:

Dom Luis Antonio Tagle: arcebispo de Manila, nas Filipinas, de 57 anos, um dos mais jovens do Colégio de Cardeais. Apreciado pelo Papa, ele agrada por suas qualidades de pastor, franqueza e cordialidade. É muito popular em seu país, o mais católico da Ásia.

América do Norte:

Bispo Marc Ouellet: ex-arcebispo de Quebec, 67 anos, cardeal desde 2003, uma referência de rigor em uma diocese que rapidamente ganhou ares de laicidade. O teólogo é, desde 2010, o prefeito da Congregação para os Bispos. Hispânico, ele também preside a Comissão Pontifícia para a América Latina e é bem visto por muitos países do Hemisfério Sul.

Arcebispo Timothy Dolan: cardeal-arcebispo de Nova York, de 63 anos. Com talento para os meios de comunicação e de fala sem rodeios, é um dos "modernistas conservadores" apreciados pelo Papa. Segundo vaticanistas, ele tem a vantagem de liderar uma diocese muito avançada na luta contra o abuso sexual de crianças e em um país onde a Igreja neutraliza melhor a laicidade do Ocidente.

Outro americano em vista e que poderia ser uma verdadeira surpresa: o arcebispo Charles Chaput, 68 anos, arcebispo da Filadélfia, possui ascendência de uma tribo de nativos americanos (Potawatomi).

África:

Laurent Monsengwo Pasinya: arcebispo de Kinshasa, no Congo, de 74 anos, é um conhecedor da Bíblia, chamado recentemente por Bento XVI para conduzir os exercícios espirituais no Vaticano, desempenhou um papel de mediação na resolução do conflito em seu país.

Há outros aspirantes potenciais para o futuro papel de "Papa negro", como o cardeal ganês Peter Turkson, 64 anos, cujas chances diminuíram devido a uma gafe sobre o risco islamita na França cometido durante um recente Sínodo.

Alguns também citam John Onaiyekan, 69 anos, o arcebispo de Abuja (Nigéria), arquiteto do diálogo com os muçulmanos, recentemente promovido ao posto de cardeal.

Outro citado é Robert Sarah, guineano, de 67 anos e presidente do Pontifício Conselho Cor Unum, que se encarrega de distribuir a caridade papal.
Share on Google Plus

About

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário