Assaltantes atiram em pelotão da polícia e explodem agência bancária



Um grupo de pelo menos oito homens assaltou uma agência do Banco do Brasil, em Taguatinga, no sudeste do estado, na madrugada desta terça-feira (20). De acordo com a comandante do pelotão da Polícia Militar, tenente Cristiano Santos, a agência foi destruída.
A polícia fez uma barreira no posto fiscal, na saída da cidade, trocou tiros com os assaltantes, mas eles conseguiram escapar.
O policial conta que os homens se dividiram no momento do assalto. Enquanto uns foram para a frente do pelotão e atiraram no prédio e nos carros que estavam no local, outros foram para a agência, onde explodiram os quatro caixas eletrônicos. "Eles tentaram roubar o cofre, na parte de cima, e colocaram tanta dinamite que o cofre foi atirado para fora", relata Santos.
Segundo a PM, na hora do assalto quatro policiais estavam no pelotão, mas não ficaram feridos. Policiais de cidades vizinhas foram convocados para ajudar na busca aos assaltantes. A caminhonete que estava em poder dos homens foi encontrada queimada, na BR-020, estrada que liga Taguatinga ao estado da Bahia.
A ação dos assaltantes assustou os moradores da pequena cidade tocantinense, que viveram momentos de terror. A psicóloga Alice Mariano diz que várias lojas e carros na cidade estão com marcas de tiros. "Foi uma ação de terror, a cidade está parada. Foram mais de 20 minutos de tiros, metralharam todo o pelotão", conta.
A professora Sandra Brunn mora ao lado do pelotão da PM e diz que viveu mais de 40 minutos de pânico. Ela conta que, como a parede do seu quarto fica próxima à calçada da casa, teve que ir para outro cômodo com os dois filhos, de 8 e 16 anos. "Ficamos apavorados. Todo tempo ouvindo tiroteio e eles [assaltantes] falando alto: 'não sai ninguém, se não vai levar bala'", lembra ela, dizendo que eles gritavam que estavam em 20 homens. "Eles falavam: 'sou filho de homem'. Escutávamos até eles trocando as balas."
Sandra conta ainda que o sentimento é de insegurança. "Sentimos impotentes de não poder ligar para ninguém. A cidade está desprovida de segurança porque até a polícia estava desprotegida", ressalta. O carro dela, que estava na porta da casa, levou cerca de quatro tiros. "Estamos sem luz até agora porque eles atiraram no padrão de energia."
O susto
A família de Viviane Fontana, 27 anos, acordou sentindo os tremores da explosão. Segundo ela, no início ninguém entendeu o barulho. "A gente não sabia o que era, porque depois da explosão começaram os tiros. No início, parecia barulho de um foguete." A jovem conta que entrou nas redes sociais e viu várias postagens de amigos. "Nós ficamos sabendo do que estava acontecendo pelo facebook."
Segundo moradores, os comentários na cidade é de que o assalto tenha sido motivado por vingança, já que ano passado, homens também trocaram tiros com a polícia e alguns assaltantes morreram.

FONTE G1/GLOBO


TEMOS O APOIO DE:
Share on Google Plus

About

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário