Policiais civis decidem manter greve e anunciam paralisação total de 24 h



Os policiais civis, que estão em greve há mais de um mês e meio, fizeram uma assembleia na tarde desta quarta-feira (6) e decidiram manter o movimento. Além disso, de acordo com o Sindicato dos Policiais Civis de Goiás (Sinpol-GO), a categoria promete realizar uma paralisação total de 24 horas, a partir das 8h desta quinta-feira (7).

A decisão dos policiais ocorreu um dia após declarações do governador do estado, Marconi Perillo (PSDB), que reafirmou que vai cortar o ponto dos agentes. “Aquilo que é possível já foi sinalizado, o que não é possível não será feito. Já houve cortes dos salários de quem não trabalhou no mês passado e haverá de novo se a greve perdurar, pois o que está em jogo é o interesse da população”, disse.
O presidente do Sinpol, Silveira Alves, classificou a declaração do governador como “lamentável”. “Ele não está acatando a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e está indo contra a Justiça. Nós entramos com uma ação direta de inconstitucionalidade contra o decreto que prevê o corte dos dias parados e com um mandado de segurança. Esse corte abusivo será devolvido aos servidores”, garantiu.
Segundo o Sinpol, mais de 70 mil inquéritos estão parados no estado, além de 40 mil mandados de prisão que deixaram de ser cumpridos. Até agora, cerca de 30% do efetivo se reveza para atender a população. Como ainda não houve acordo e o governo indica que não vai negociar mais, a categoria optou pela paralisação total durante 24 horas, explicou Alves.
Share on Google Plus

About

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário