De pé ou deitada? Veja como guardar a cerveja dentro e fora da geladeira


Como você guarda sua cerveja? Seja para beber logo ou para armazenar por um período longo, algumas precauções podem ajudar a manter o líquido com boa qualidade e deixar a degustação mais prazerosa. Conversamos com o mestre cervejeiro e sommelier de cervejas Alfredo Ferreira, do Instituto da Cerveja Brasil (ICB), que deu alguns toques sobre o assunto.
Cerveja não é vinho
Ao contrário do vinho, o ideal é guardar as garrafas de cerveja em pé, especialmente as não filtradas. Nesses casos, há resíduos de levedura e outros componentes, o que causa uma grande deposição no fundo da garrafa. “A qualidade desse fundo de garrafa não é o mesmo ao longo do tempo, e armazenada em pé é possível servir sem esse fundo”, explica. Além disso, defeitos como a oxidação podem ser reduzidos. A exceção são as cervejas de guarda rolhadas em cortiça, que podem ser mantidas deitadas, como as Lambics belgas.
Não vá para a luz
Cerveja e luminosidade não combinam. “A cerveja é bem sensível à luz”, explica Alfredo. O defeito mais comum causado pela exposição do líquido aos raios ultravioleta ou mesmo à iluminação artificial é o chamado light struck. “Componentes que vêm do lúpulo, em contato com a luz, dão o light struck, associado ao aroma de gambá”, comenta. A luz também pode provocar outros problemas como oxidação, sabor de papelão e envelhecimento.
Nem muito gelada, nem muito quente
A temperatura pode ser um dos grandes problemas para armazenar cervejas no Brasil, pois o calor deteriora mais rapidamente a bebida. O ideal é usar um ambiente fresco, como uma adega climatizada, entre 10ºC e 12ºC para garrafas que serão guardadas por um longo tempo. A geladeira comum é uma alternativa para as que serão consumidas rapidamente. “Se for guardar para tomar em breve, dois ou três graus abaixo da temperatura ideal para o estilo que você vai tomar é o recomendado. Ao servir, ela esquentará um pouco”, diz Alfredo. Uma cerveja Pilsen, por exemplo, pode ser servida entre 2º e 4ºC. Também deve-se evitar mudanças bruscas, como gelar e desgelar a mesma garrafa várias vezes.
Que tal uma cerveja envelhecida?
Sabe aquele negócio de que o vinho fica melhor com os anos? Em geral, isso não se aplica às cervejas. A maioria delas têm uma vida útil curta e devem ser consumidas o mais frescas possível. Alguns estilos, no entanto, podem ser envelhecidos. “Acidez e complexidade aromática, como no caso das Lambics, dão um pouco de estrutura. Tem algumas com 10, 15, 30 anos que são uma delícia”. Outras que podem ser guardadas são as mais escuras e alcoólicas. “Componentes que dão cor e álcool ajudam a manter a qualidade. Algumas cervejas típicas de guardar são Imperial Stout, Barleywine, Strong Dark Ale belga”, comenta. “Já IPA é o contrário, quanto mais fresca, melhor”.
Share on Google Plus

About

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário